História infantil As Coisas Que Mais Gostamos

As Coisas Que Mais Gostamos

As coisas que mais gostamos: Era um daqueles dias de Verão em que sopra uma brisa suave. As nuvens corriam umas atrás das outras pelo céu, passeando pelo mundo.

Milly e Molly estavam deitadas na relva, com as cabeças juntas, pois fazia calor e elas estavam pensativas.

Então, se a Pipa e a Beta não as tivessem encontrado, provavelmente teriam adormecido.

Mas o João e o Toni também apareceram.

– Esta é uma das minhas coisas preferidas — disse Molly.

– O quê? — perguntou o João.

– Deitar-me na relva a ver as nuvens — respondeu Molly.

– Qual é a tua coisa preferida então?

– Hambúrgueres — disse o João.

– Não, João, não estou a falar disso. Falo de sentimentos — disse Molly.

– Como quando o meu pai me vai ver jogar râguebi? — perguntou o João.

– Sim — disse Molly baixinho.

– Como o cheiro a pó de arroz da Avó quando me lê histórias — disse a Beta.

– Então, gosto muito quando o meu pai me deixa pegar na cana de pesca dele — disse o Toni.

– E eu gosto das segundas-feiras, quando os meus lençóis cheiram a sol — disse Milly.

– Eu gosto de me sentar no sofá do meu pai, quando ele se levanta e as almofadas ainda estão quentes — disse Molly.

– Mas eu gosto de encontrar a minha mãe ao pé dos morangueiros, quando chego da escola — disse João. — Ela dá-me sempre os melhores.

– Eu gosto que o meu pai me ponha um pano frio na testa, quando eu estou na cama, doente — disse a Beta.

– Quando há trovoada — disse o Toni — gosto de me ir meter na cama quentinha dos meus pais.

– Eu gosto de beber chocolate quente com o meu pai, ao pé da lareira, enquanto ele me conta histórias — disse a Milly.

– Eu gosto do cheiro do bolo de chocolate a sair do forno, quando chego da escola, à sexta-feira — disse Molly.

O Toni pôs-se de pé.

– É sexta-feira, Molly! De que é que estamos à espera?

– Vou chegar primeiro! — gritou o João.

– Vocês são um grupo muito especial — disse a mãe da Molly.

– Gosto quando dizes isso — disse Milly, com a boca cheia de bolo de chocolate.

E todos disseram que sim com a cabeça.

Gill Pittar | Milly Molly – Tomo I Rio de Mouro, Everest Editora, 2006